quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Sabe da última?




Como você classifica o time de trabalho? Você considera os empregados da sua empresa como clientes internos? Perguntas assim fazem parte de qualquer diagnóstico de comunicação interna. A cultura organizacional e seu jeito de ser impactam diretamente no clima, na produtividade e na energia das pessoas e o fato é que as empresas são formadas por departamentos que costumam trabalhar olhando para suas próprias metas e objetivos, sem se comunicarem direito uns com os outros. Verdadeiros silos, isolados uns dos outros na maioria das organizações públicas ou privadas.

Nessas lugares, os empregados podem ser esquecidos na hora dos lançamentos de novos produtos ou mesmo nas mudanças de estrutura. Eles ficam sabendo das “novidades” através de informações e notícias externas, nos sites de negócios ou pelas suas redes sociais. Um tremendo gol contra no moral da tropa, no entusiasmo das pessoas que se dedicam horas e horas para dar o melhor de si para a empresa na qual trabalham. Gestor que não percebe isso, não é líder, é chefe. E chefe é a aquele que diz uma coisa e faz outra: fala que respeita as pessoas, mas suas atitudes mostram o contrário, que ele não está nem aí para elas.

O que acontece num cenário desses? O disse me disse prolifera, contamina. A rádio corredor e sua fofoca corporativa ganham força e nós sabemos que a fofoca e a boataria ( #fakenews ?) nunca foram boas conselheiras para as equipes de trabalho.

Imagem: Freepix.

Nenhum comentário: